sexta-feira, 27 de julho de 2012

LITERATURA SEXUAL PICANTE E ESTIMULANTE



As opções são vastas. O mercado literário explora amplamente o tema sexualidade. Chega ao Brasil a tradução de uma trilogia polêmica por abordar o masoquismo em detalhes minuciosos.

A mídia noticiou: "Desde seu lançamento nos Estados Unidos, em março, vendeu mais de 10 milhões de exemplares em apenas seis semanas, tornando-se o maior fenômeno editorial dos últimos tempos. (...) No começo de junho, o serviço de verificação de venda de livros nos Estados Unidos, o BookScan, informou que a trilogia acabara de abocanhar 25% do mercado americano de ficção adulta, além de ter ganhado tradução para 37 idiomas."

Uau!!!

Mesmo sem conhecer o conteúdo, uma reflexão se faz bastante oportuna: o que leva 10 milhões de pessoas a buscar essa leitura, num período tão curto (apenas seis semanas)? Porque tamanho interesse? O que esses leitores estão buscando?

Ao deparar-se com os comentários de pessoas comuns (o que exclui os críticos literários) é possível identificar um preocupante “desespero sexual coletivo”. Os seres humanos se mostram sedentos por alguma informação capaz de mostrar-lhes o que sozinhos não conseguem enxergar, tampouco alcançar: o orgasmo máximo proporcionado por uma experiência sexual.

Vale tudo, servem-se de tudo, apelam para tudo. É tão sedutor e instigante quanto perigoso. Classificar como doentio não é válido. O aspecto doente dessas propostas sexuais é atual e, portanto, apresenta-se como uma espécie de “tendência”. Parece loucura, mas ser doente está na moda. Muitas pessoas, inclusive, se sustentam nesse status: “doente por sexo”! Como se tal rótulo, de alguma maneira, as diferenciasse com a vantagem de aproximá-las do tão almejado êxtase sexual.

E a ladeira desce... E o descalabro é profundo... Explorar esta abordagem pode render muitas páginas. No entanto, duas opções se apresentam: continuar descendo, se atolar e adoecer de verdade ou parar e olhar para cima.

“Mas eu quero sentir! Quero prazer! Quero experimentar esse êxtase, esse orgasmo máximo que uma relação sexual pode me proporcionar! Quero, portanto, continuar explorando esse universo!”

Lamento muito, mas não será com práticas sadomasoquistas e sexo animal ou grupal que conseguirá alcança-lo! O caminho não é este.

“Mas o meu mundo é esse, vibro isso, quero isso, vivo para isso, meu namorado (marido, parceiro) quer isso, a gente já fez muito disso e é aí que eu estou, com toda essa carga de expectativas!”

Então, compreenda: toda proposta de sexo animal gera de tudo, menos um orgasmo puro e verdadeiro. A energia gerada na relação sexual animalesca remete os envolvidos para uma experiência de exaurimento energético.

O orgasmo máximo que a humanidade busca é uma experiência ESPIRITUAL. Mostra-se inalcançável porque, de fato, é algo sobrenatural. Numa comparação racional, seria como viver uma experiência fora do corpo, ir até o céu e retornar, completamente lúcido para contar o que viu e tentar explicar as sensações.

Com o verdadeiro orgasmo também é assim. A experiência se dá através de um encaixe perfeito entre pessoas lúcidas que se AMAM e o sentimento alcançado a nada se compara por ser espiritual e único. Abre-se um portal. É indescritível por ser sagrado e, portanto, um mistério. É uma celebração, é fonte de felicidade duradoura porque preenche a alma. Trata-se de uma experiência que equilibra, restaura a saúde, encanta e remete para uma segurança típica de pessoas que alcançaram a liberdade.

O verdadeiro orgasmo eleva o espírito, preenche, faz feliz e liberta.

Já o sexo animalesco, sadomasoquista ou grupal (e todas as suas vertentes) adoece irremediavelmente e joga a humanidade no completo desespero por uma razão muito simples: mesmo sentindo euforias e atingindo níveis altíssimos de prazer (adrenalina), o espírito permanece CLAMANDO por um encontro sagrado. É uma inteligência que foge do controle humano E NÃO CESSA. Quanto mais longe dessa realidade sagrada e quanto mais práticas sexuais doentes, mais o espírito clama e implora por uma relação com amor. Se a pessoa ignora e persiste na atitude, permanece com um INCÔMODO DE ALMA e se desespera por não sentir o êxtase que as relações sexuais deveriam proporcionar. O máximo que se alcança no “sexo por sexo” ou no “sexo por puro prazer” JAMAIS sobreporá o verdadeiro orgasmo, que é inatingível sem amor. Um quadro desafiador de contraprova, no qual, repito, “vale tudo, servem-se de tudo, apelam para tudo”, mas nada funciona... A sede é eterna!

No dia seguinte, o esforço passa a ser SUPORTAR-SE. Eis que se apresentam as drogas e o álcool para aliviar essa insatisfação, completando o caos!

E assim a humanidade segue... inconsciente, doente, desesperada, sedenta, brutal, extremista, masoquista... refletindo nas atitudes sexuais todo o seu desequilíbrio.

Há tanto por saber! Você busca alívio? De qual informação ainda precisa?


0 comentários:

Postar um comentário

Comentários são muito bem vindos! Esclarecimento pressupõe dúvida. Manifeste a sua ou apenas deixe uma contribuição. Todos os comentários passam por moderação. Somente serão publicados os de conteúdo apropriado e desde que não tratem de assuntos pessoais.

 
Powered by Blogger