sábado, 21 de janeiro de 2012

NÃO SEI FALAR SOBRE SEXO COM A MINHA FILHA



- Acho que minha filha não é mais virgem.
- Vocês conversaram sobre essa decisão, de iniciar a vida sexual?
- Não. Quer dizer, conversamos.
- Como foi a conversa?
- (...)
- Tensa? Apática? Incompleta? Constrangedora? Desconfortável?
- (...)
- Quer conversar primeiro sobre os seus problemas de ordem sexual? Sobre os seus bloqueios e traumas?
- (...) (...) (...)

Ufa! Ainda bem que isso não é um diálogo; é apenas um texto que você lê se quiser. Não precisa se confessar e muito menos responder a essa incômoda pergunta. Mas já que estamos aqui e o assunto começa a tomar forma, que tal se permitir a uma maior compreensão sobre a sexualidade e tudo o que a envolve?

Embora eu não possa afirmar que você arraste desequilíbrios sexuais, posso, sim, comunicar com segurança que 99% da população mundial se apresenta sexualmente desequilibrada. Tentar analisar cada perfil não é sensato, além de ser irrelevante. Mas conforta saber que, caso tenha algum desequilíbrio, você não é a única com problemas desse tipo?

Como, então, falar com a sua filha sobre um assunto que, para você, é motivo de pânico ou vergonha? “Ai, nem uma coisa nem outra! Só não gosto muito de falar sobre isso!” Tudo bem! Há que se respeitar essa sua postura! Mas você sabia que se não falar abertamente sobre sexo com ela a informação chegará de forma absolutamente distorcida? Tome por base a forma como você entrou em contato com esse universo do sexo. Honestamente, fizeram um bom trabalho (com o seu cérebro e sentimentos) ou te jogaram numa vala, num abismo de insegurança e pecados?

A resposta pessoal a uma educação sexual deficiente é o extremismo: “nada pode” ou “tudo pode” (NEGAÇÃO X DEPRAVAÇÃO). Uma mulher torna-se sexualmente apática ou enlouquecida graças à falta ou à péssima qualidade de informações que lhe são prestadas.

Se hoje a sua vida sexual é um caos (quer porque nada te sacie, quer porque a nada você se permita), saiba: a solução para o seu problema está na informação. Mas qual? Esta aqui, aliás, todas essas que são discutidas por aqui, neste singelo espaço virtual. “Não é muita pretensão da sua parte achar que tem a resposta para essas coisas tão profundas e delicadas?” Seria pretensão se não fosse função e se eu não estivesse lutando contra um grande egoísmo. Como posso receber ajuda para chegar a essas conclusões e não compartilhar? Preciso, no mínimo, criar condições para que, a mais alguém, tudo isso possa fazer sentido. Faz para você? Ainda que não responda, já é possível sentir o que causa alívio e o que perturba. Então, na medida do possível, vamos explorando esse universo conturbado. Vai que num dado momento seja possível desvencilhar-se de todas as correntes e viver uma experiência sexual plena? Não seria fantástico? Pois é... Então, continuarei escrevendo e você, por favor, se esforce para continuar lendo, ok? Apenas isso.

E não espere encontrar um roteiro ou uma receita pronta para repassar para sua filha. A conversa entre vocês precisa ser regada a sentimentos: os seus e, principalmente, os dela. Somente “sentindo” se alcança a alma que, uma vez tocada, permanece com o registro eterno.

“Mas COMO falar com a minha filha?” Fale a verdade. Se suas experiências foram fantásticas ou terríveis, esteja disposta a ser honesta com os seus sentimentos. Mas EM HIPÓTESE ALGUMA deposite nessa conversa uma carga desnecessária de pecado, tampouco passe a falsa ideia da perfeição (namoro perfeito, homem lindo, rico e perfeito, jantares, presentes caros, paixão estonteante) e muito menos a faça acreditar nos múltiplos orgasmos alcançados a partir da busca desesperada pelo prazer.

Partir para a linha do pecado reforçará as impressões trazidas no DNA de toda mulher que teve uma ancestral comum queimada e torturada pela inquisição.

A propósito, qual o seu conhecimento sobre suas ancestrais? O que você sabe sobre a vida sexual da sua mãe, da sua avó e bisavó? Qual a origem dos seus bloqueios? Se algumas doenças são hereditárias, não seria possível que os traumas, registrados no material genético da sua tataravó, pudessem percorrer o mesmo caminho das doenças e chegar até você? Essa reflexão está além do físico. Não sou médica, cientista ou psicóloga, apenas estou considerando as questões energéticas que a todos envolvem. Energia nas suas mais variadas formas, ok? Pesquise um pouco sobre isso porque o assunto é vasto e realmente vale a pena!

Trabalhar o pecado como “reio” resulta numa tragédia pessoal; dificulta, inibe, trava, enrijece, bloqueia e faz sofrer demais. Por outro lado, embutir em sua filha a ideia da perfeição que ela “merece” é criar condições para o caos. Uma mulher que cresce acreditando em príncipe encantado “quebra a cara” na primeira oportunidade ou passa a vida se esforçando para sustentar um cenário, uma rotina falsamente construída sobre expectativas que ela criou ou os outros criaram para ela. Já a busca desesperada pelo prazer é o que existe de mais frustrante em termos sexuais e levará, fatalmente, aos estados alterados de consciência. Em todos esses casos, a felicidade torna-se utopia e, como consequência natural, se apresentam os males modernos (depressão, estresse, ansiedade, síndrome do pânico,...).

O número de mulheres doentes é assustador. Mais assustador ainda é o fato delas DESCONHECEREM a causa do seu mal, que comumente é de ordem sexual.

Então, se você quer o melhor para a sua filha, trate-a como uma SÁBIA MULHER que apenas precisa ser RELEMBRADA de alguns registros LIBERTADORES que ela traz na alma. Essa é uma das suas funções como mãe. Ainda que você não tenha sido tratada assim, se esforce para transpor todas as dificuldades sexuais que hoje se apresentam para alcançar um benefício maior. Ao proporcionar isso à sua filha, a Mãe Natureza pode lhe recompensar de várias maneiras (inclusive despertando em você as informações libertadoras que traz em sua própria alma). Mas se você for meio para que isso seja uma verdade para muitas outras meninas, além da sua filha, silenciosos créditos serão gerados e uma paz profunda passará a povoar o seu entorno. Vale o esforço, acredite!

Imagens: Gettyimages


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

BÊBADA, SEXUALMENTE ABUSADA E NACIONALMENTE EXPOSTA




O Programa Big Brother, embora digno de críticas enfáticas, se empresta a uma reflexão muito oportuna. Não se trata da análise sobre o marketing, a autopromoção dos participantes, tampouco as incontáveis estratégias para fazer com que cada edição seja mais chocante do que a anterior. A intenção de hoje é demonstrar “as consequências de um porre”, caso o texto “TRANSEI BÊBADA, QUAL O PROBLEMA?” não tenha sido suficiente para despertar, minimamente, para essa consciência.

O episódio do “rapaz aproveitador” e da “moça embriagada” repercutiu nacionalmente porque era a intenção da emissora, que sabe que fatos como este causam indignação. Quanto mais absurdo, mais olhares atrai. O Brasil inteiro voltou-se, portanto, para o suposto abuso sexual. Dessa forma, alcançada está a meta do programa: audiência. A emissora criou todas as condições para o caos (festa, bebida, roupas sensuais, músicas estimulantes,...), os participantes cumpriram função (dançaram, beberam, se insinuaram) e uma mulher, entre todas, viveu a malfadada experiência sexual (ao vivo em rede nacional) sem avaliar as consequências do seu ato. 

A discussão sobre ela estar ou não em condições para avaliar tais consequências é vã. Sua postura, por si só, denuncia a gravidade da falta de consciência sobreposta por um incontrolável interesse financeiro e pela fama. Enquanto permanecer na casa, ou melhor, uma vez tendo sido selecionada para compor o rol de participantes, nada mais importa a não ser o suce$$o. Impossível despertar consciência sobre sexualidade numa pessoa nesse quadro.

Mas é importante observar que, aos olhos e sob o crivo de uma nação, a dona de um cálice sagrado se emprestou a um papel lamentável. “Ah! Larga de ser ingênua! A mulher tá na TV e quer mais é ganhar o prêmio, custe o que custar! Jogou com as cartas que tinha!” A mim pouco importa onde ela esteja e qual o seu objetivo. Reafirmo: se emprestou a um papel LA-MEN-TÁ-VEL!!! 

A investigação policial baseou-se na existência (ou não) de consentimento para que a relação sexual acontecesse. Desnecessária qualquer investigação... Basta analisar: CONSENTIMENTO = COM + SENTIMENTO. Paira alguma dúvida sobre a ausência de consentimento? Reformulando... Foi possível perceber algum sentimento nobre e verdadeiro naquela relação? Como tudo aconteceu? Quais as circunstâncias? Estado alterado de consciência, corpo anestesiado, sem sentimento, sem sentir, sem sentido e, portanto, não consentido.

Quem quis ver sexo explícito se decepcionou com os poucos gemidos e pequenos movimentos insinuantes. Qual a contribuição, então, dessa pasmaceira? Evidenciar uma prática absolutamente corriqueira entre os casais, porque a esmagadora maioria das pessoas já manteve relações sexuais depois de ingerir (muita) bebida alcoólica. É tão trivial que parece uma regra: “se não beber não tem graça, porque não relaxa e nada acontece”. Alertar que agindo assim comete-se um grande erro parece caretice porque todo mundo bebe antes de transar. Algumas pessoas acreditam que quanto maior o porre, maior será o prazer alcançado. Nesse embalo, não há o que baste.

Ter, portanto, a oportunidade de ver na TV a repercussão de uma atitude dessas deve servir para que, de forma honesta, você possa se ver. O papel do casal da TV pode tornar-se um pesadelo para ambos. Assim também pode acontecer com você. Ainda que sua vida não seja um reality show, qualquer aparelho celular é capaz de gravar vídeos que podem causar um estrago considerável e irremediável na vida de qualquer pessoa, principalmente se for uma mulher. Depois de bêbada e inconsciente, você vira joguete, marionete, e faz coisas num instante das quais poderá se arrepender pelo resto da vida.

Em sendo você um homem, não conte com a sorte! Sem o aparato jurídico disponibilizado pela emissora para “abafar o caso”, sua vida certamente se complicará MUITO diante da acusação de estupro (ou abuso) por transar com uma mulher inconsciente. Manter-se sóbrio (e longe de quem não esteja) é sinônimo de inteligência. Prevenir é infinitamente melhor do que ter que provar depois... para a polícia!

Às mulheres estão reservados momentos sexuais mágicos, mas sem escrúpulos, esqueça! Se não manifestarem delicadeza de caráter e de alma, além do respeito profundo pelo seu corpo e pela sua sexualidade que é sagrada, estarão cultivando dor e sofrimento em solo fértil, ou seja, a colheita de frustrações, tristezas e perturbações psíquicas será farta!

Se quase nada se extrai de útil de um reality show, que deste episódio se possa extrair consciência sobre si mesma, sobre seus valores e postura.
Imagem: Gettyimages

sábado, 14 de janeiro de 2012

SER VIRGEM HOJE



Discutir a virgindade em pleno ano 2012 é um grande desafio. A visão das adolescentes é uma, das mães é outra e das mulheres mais velhas a nada se compara. A ousadia das mais jovens leva muitas mães ao completo desespero. Quanto às mais velhas, traumas e bloqueios profundos são o que há de mais trivial. Entrar nesse universo é descobrir muita dor. Mas que a reflexão aqui proposta possa funcionar como um analgésico, se não para o corpo, para a alma...

Adolescentes querem ser modernas e livres, por isso transam precocemente (quero dizer MUITO precocemente MESMO!). Preferir não transar na adolescência é ter que decidir entre ser igual às amigas (e, portanto, ser aceita) ou se submeter a piadinhas e a um quase bullying.

Mulheres dos 18 aos 29 anos que não transaram ainda, sequer tocam no assunto. Falar traz a inevitável consequência de ter que se explicar, dizer qual o seu problema, se é lésbica ou porque não desperta o interesse dos homens.

Mulheres virgens com mais de 30 anos começam a exteriorizar a pressão silenciosa que vivem ou a necessidade extrema de não falar sobre isso. A preocupação em lidar naturalmente com o fato acaba comprometendo suas certezas, sua psiquê e seu equilíbrio. Se assim permanecerem, chegarão à terceira idade arrastando rótulos pesadíssimos para a saúde emocional de qualquer mulher.

Em se tratando de adolescentes, discutir virgindade pode ser entendido como orientação, tudo bem! Mas em se tratando das mais velhas, qual a contribuição? Não é mais fácil incentivar logo para que se entreguem e deixem esse “negócio de ser virgem pra lá?” NÃO! Esse não é o caminho. É preciso considerar quais razões as levaram a essa escolha ou circunstância.

Para muitas, a virgindade se impôs como uma regra tão forte em termos culturais e religiosos, que jamais tiveram forças e coragem suficientes para transpor as imposições e o pecado estabelecido.

Para outras, as expectativas criadas foram tão absurdas, que somente conseguiram passar a colher todas as frustrações geradas por cada expectativa criada, sem nunca viver uma experiência real.

Para outras, no entanto, a virgindade se apresentou como uma escolha, já que não estavam dispostas a manter relações sexuais por pura aventura.

Forçar situações e estabelecer críticas em nada contribui para aliviar a pressão que recai sobre todas essas mulheres. Além do que, através delas é possível compreender que MUITAS outras passaram a se submeter a relações sexuais que adoecem, justamente, para fugir dessa pressão. Subjugar ou lançar comentários maldosos e piadinhas de mau gosto sobre elas é, no mínimo, sinônimo de muita ignorância.

É comum ouvir “você não sabe o que tá perdendo!”. Fato! Você não sabe que está perdendo dissabores e um forte sentimento de ter sido usada, caso venha a se forçar a uma relação. Esse papo de que “a terra vai comer” é triste! Reflete grande falta de consciência. A resultante das relações sexuais são os frutos colhidos a partir da escolha feita. Uma escolha segura representa um excelente resultado. Por outro lado, a escolha sob pressão, com medo de ser objeto de piada, com o sentimento de que não tem mais tempo a perder e que só você ainda não transou, resulta numa tragédia íntima irreversível, com doenças psicossomáticas e toda sorte de males modernos.

Se a sua escolha em permanecer virgem foi tranquila, não há porque sofrer e adoecer por causa de uma pressão sustentada em conceitos totalmente deturpados. A maior contribuição desta reflexão é fortalecê-la para que não sofra desnecessariamente. Para isso, você precisa se sentir segura, qualquer que seja a sua escolha. Mas somente alcançará segurança se estiver bem informada.

Parto do princípio de que toda relação sexual é um ato sagrado. Reconheço que TODO MUNDO se comporta como se não fosse, que a regra é o cio permanente, babando, mas reafirmo: A RELAÇÃO SEXUAL É UM ATO SAGRADO.

A mulher encontra-se com Deus quando dá à luz e quando alcança o verdadeiro orgasmo. Os órgãos sexuais femininos são a porta para esse encontro. Prova disso é que através do aparelho reprodutor feminino a humanidade inteira chegou ao mundo! O nascimento de um bebê, de um ser humano, é, portanto, um verdadeiro milagre e depende de um útero para acontecer! O homem, por sua vez, SOMENTE conseguirá tal aproximação de Deus através de uma mulher que o ame verdadeiramente e, através de uma relação sexual em que ambos estejam sóbrios, ELA alcance o verdadeiro orgasmo. Um momento indescritível em que suas almas comungam. Depois dessa experiência, esse homem JAMAIS conseguirá se desligar da mulher que lhe proporcionou tal experiência. Ele não conhece o amor incondicional (que é próprio das mulheres), mas despertará para um sentimento puro, acredite!

A ideia de “proporcionar prazer ao homem para segurá-lo junto a você” é um blefe e está muito longe de vê-lo ejacular (acreditando que assim sentiu o maior dos prazeres) porque isso ele consegue sozinho, se masturbando. Achar que fantasia erótica será a solução, somente lhe causará mais frustrações, além de adoecê-la emocional e mentalmente. O papel da mulher na relação sexual vai muito além de tudo o que vem sendo divulgado em revistas e na mídia.

Para ser o fenômeno sexual que todas gostariam, antes de tudo será necessário se conhecer ESPIRITUALMENTE e SE RESPEITAR. É a sua saúde sexual que a levará ao ápice da experiência humana e NÃO a exaustiva atividade sexual.

Compreenda que energia sexual equilibrada é uma raridade no planeta Terra em função de tudo o que, há muito tempo, vem sendo ensinado e praticado. Alcançar o ápice e conduzir o homem ao encontro com Deus é, para as mulheres virgens, uma possibilidade real, enquanto que, para todas as outras que mantém hábitos sexuais adoecidos, a possibilidade diminui a cada novo parceiro.

As virgens não têm, portanto, razões para maiores sofrimentos. Estão em grande vantagem, pois, bem informadas, poderão acertar (ou errar menos).

Sempre é tempo para amar incondicionalmente e, assim, viver experiências sexuais saudáveis e verdadeiras. Toda vida sexual pode ser saudável se estiver sustentada em verdades, mas ela depende EXCLUSIVAMENTE da postura da mulher! Permita-se!

Imagem: Gettiymages 

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

TRANSEI BÊBADA, QUAL O PROBLEMA?



- Verdade que você fez isso?
- Fiz, por quê? Qual o problema? Foi ótimo!

Você sabia que bem antigamente, quando não existia anestesia, antes de extrair um dente ou fazer uma cirurgia, as pessoas tomavam uma dose caprichada de “cachaça” nas suas mais variadas formas? Uma prática que perdurou por séculos. Era a única maneira de aliviar a dor porque, embriagada, a pessoa sentia menos os seus efeitos.

Hoje, as anestesias fazem verdadeiros milagres. Suas dosagens permitem incontáveis intervenções que vão desde pontos num pequeno corte a transplantes de coração. Independentemente do método, um corpo anestesiado fica muito próximo de um cadáver. É simples de constatar, basta observar sua boca anestesiada quando vai ao dentista: fica “morta”. Você se morde e não sente. Quando a anestesia passa é que vê o tamanho do estrago.

A ciência explica belamente o que acontece com um corpo anestesiado, mas, para este momento, basta saber que a palavra anestesia significa “ausência de sensações”.

“Óh, que legal! Mas o que isso tem a ver com o fervo sexual que vivi, regado a muiiita birita?” Pois é... Você valeu-se do método antigo para anestesiar seu corpo. Uma vez tendo ingerido bebida alcoólica, suas sensações ficaram ausentes. Seja lá o que for que você tenha sentido, não foi uma verdade.

“Ah! O que que é isso? Quem sabe o que eu senti sou eu!” Tá, tudo bem! Mas observe: quando falei da boca anestesiada, não mencionei a questão do gosto, né? Então... A ausência de sensações na boca a impede de sentir o gosto do alimento, ou seja, o paladar fica comprometido. Agora eu pergunto: O QUE SERÁ QUE ACONTECE COM O CORPO TODO ANESTESIADO?

A resultante é o comprometimento dos 5 sentidos, não somente do paladar. A visão, a audição, o olfato e, principalmente, o tato deixam de cumprir função. Tudo passa a se confundir e você faz coisas que sóbria JAMAIS faria. Os estados alterados de consciência proporcionam uma coragem assustadora.

Além do mais, quando o álcool cai na corrente sanguínea e chega até a glândula hipófise (no cérebro), TODA a sua produção hormonal fica comprometida.

Mas chega de falar de efeitos físicos. Não sou perita em anestesias, muito menos em questões hormonais. Tem gente com muito mais gabarito para se aprofundar nesse assunto.

Vamos ao que interessa em termos espirituais.

Antes de mais nada, você tem alma? Que bom... então tem um espírito! Se vou falar em termos espirituais significa APENAS que o assunto se refere à sua alma, o que não tem ABSOLUTAMENTE NADA A VER com religião, ok? Superado esse eterno preconceito, passo às considerações finais...

Ao anestesiar o corpo, os laços com o espírito são afrouxados (por isso as sensações ficam ausentes). Nesse momento, você perde o controle sobre si mesma. Qualquer pessoa pode, portanto, assumir o controle sobre você (viva ou morta, búúúú!!!). É daí que advém toda a sua coragem. Se permitindo a esse estado (a escolha de beber é sua, não é?), a Mãe Natureza NÃO PERMITIRÁ que suas sensações sejam verdadeiras. Seu corpo se nega, mas alcoolizada ou drogada (o que é muito pior) você perde o discernimento, trai o que estava sentindo e se entrega sem a menor preocupação. Suas chances de alcançar o verdadeiro orgasmo se encerram com o primeiro gole, não importando tratar-se de um brinde despretensioso com champagne ou um porre fenomenal de whisky cowboy.

Sóbria, a Mãe Natureza lhe reserva um momento mágico, duradouro e que lhe faz saudável porque equilibra suas emoções, traz lucidez e lhe proporciona um banho de hormônios fantástico que a nada se compara. Se souber aproveitar, estas informações podem elevar sobremaneira sua qualidade de vida sexual. Porque não experimenta?
Imagem: Gettyimages

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

SEXO SEGURO X INFORMAÇÃO SEGURA


Para mim, a segurança de uma informação está na consciência que ela traz. Uma pessoa verdadeiramente segura é consciente e, como consequência natural, bem informada. Estamos nos aproximando de uma excelente oportunidade (o Carnaval) para observar alguns aspectos a serem discutidos neste post:

A princípio, me parece muito fácil confundir sexo seguro com informação segura, não? Pois bem. Tenho ouvido há anos: “Faça sexo seguro! Use camisinha!”. É praticamente um hino cantado em coro na mídia, registrado em cartazes nos postos de saúde, em murais de escola e em tantos outros incontáveis lugares. As pessoas lêem tanto, que reproduzem. Ainda que não usem preservativo nas suas próprias relações sexuais, não perdem a oportunidade de, permissivamente, aconselhar um pré-adolescente que se apresente meio “ruinzinho de serviço” em termos de experiências sexuais.

De uns tempos pra cá, passei a questionar se essa informação é realmente segura. Conclui que nem a informação, nem o sexo são necessariamente seguros da forma como vêm sendo divulgados.

Explico...
Quando copula, a mulher recebe o espírito do homem e ele fica registrado para sempre na sua alma, na sua aura. Ter o registro de apenas um homem é sinônimo de muito poder, inclusive sobre o próprio homem. Deixa de ser necessário falar. Um olhar resolve! (...) Com o marido, a sobreposição, o mando da mulher acontece se ela não estiver dividida. Isso explica o porquê das mulheres terem perdido sua força moral. Elas não sabem mais com quem estão falando. Têm tantos registros de homens diferentes, que perderam a força, perderam a moral. Quando ela fala, não se sabe a quem está dirigida a sua força. Se a esse ou àquele ou àquele outro, já que ela se relacionou sexualmente com todos. (Livro “Mulheres: Mães e Reeducadoras dos Filhos de Hórus” - pág. 206)

Observe o que sentiu lendo este simples parágrafo. Vou listar algumas possibilidades:

1. Que alívio! Eu estava certa! Não fui uma idiota tendo me preservado até hoje!

2. Que mer@#% é essa? Que mané recebe o espírito o que? Vai, essa nega é, no mínimo, uma louca! (Claro que não vou relacionar todos os adjetivos que posso estar recebendo neste exato momento, né?)

3. Ai, olha essa aí querendo limitar a liberdade sexual feminina! Mulher que dá pra mais de um cara perde a moral? Que moral? Me economiza, vai! Os tempos mudaram! A gente dá meeeesmo!

4. Nossa! Péra um pouco. Deixa eu ler de novo... (Isso, isso, leia! Por favor, LEIA!!!)

Pela sua felicidade, permita-se entender o que acontece com seu corpo, com o seu espírito! Não sou louca, não nego que o uso do preservativo é indispensável, não estou com discurso castrador, limitador, MUITO PELO CONTRÁRIO! Estou falando de uma verdade cósmica! Não é surto, é a nossa chance de resgatar a força enfraquecida, a sabedoria esquecida e a essência feminina sustentada numa segurança inigualável.

É claro que você não está proibida de se relacionar com quantos homens quiser. O clamor é, apenas e tão somente, para que compreenda os efeitos dessa decisão, pois esteja certa de que ela afeta seu corpo físico, suas emoções, sua mente e permanecem com o seu espírito até que você morra. Parece exagero? Pois saiba que aonde quer que esteja, não importando a sua idade, se vier a se encontrar com um homem com quem se relacionou sexualmente, você o reconhecerá. Ele pode até não se lembrar de você, mas você saberá quem é pelo simples fato de trazer os registros dele no seu corpo. Vocês podem ter usado muitos preservativos na relação, mas nada impedirá que a energia dele fique em você. Isso é sério e forte o suficiente para adoecer e enlouquecer qualquer mulher. Os desequilíbrios causados são profundos, mas dificilmente as causas são conhecidas porque a falta de informação neste sentido é assombrosa!

Às mulheres que se sentiram agredidas, peço perdão por não ter conseguido atingir suas almas. Mas às que se identificaram com a INFORMAÇÃO SEGURA trazida numa única citação, temos muito que conversar. O livro “Mulheres: Mães e Reeducadoras dos Filhos de Hórus” traz lições preciosas, mas para quem ainda não o adquiriu (friso que cedi TODOS os direitos autorais à Fraternidade Lux de Harmonização) aqui no Projeto Philae teremos excelentes oportunidades.

Este texto tomou outro rumo. Imaginei falar com maior profusão sobre o Carnaval, sobre a camisinha e as práticas sexuais que adoecem a emoção e a mente, mas não foi o que aconteceu. Vamos falar em outra oportunidade, ok?
Imagem: Gettyimages

VOTOS DE FELIZ ANO NOVO, POR SOLANGE SEIXAS VIEIRA



Recebi um e-mail muito especial. Destinatária: SOLANGE SEIXAS VIEIRA. Somos voluntárias na Fraternidade Lux. Ela é espontânea e, com muita frequência, promove a mais eficiente das terapias: a Terapia do Riso. Mas desta vez o assunto me pareceu sério. Inspirada, já em casa depois da nossa “Ceia de Ano Novo”, ela criou o texto abaixo. Quando li, decidi postar. Entendo que não se deve desperdiçar um momento de intuição. Ficou clara para mim a emoção e satisfação que ela sentiu ao escrever. Merece ser compartilhada...


RENASCER

Inicia-se um Novo Ano, novas expectativas, novos sonhos, novas esperanças, novos desejos a serem realizados. É mais um ano de novas oportunidades, de acertos e erros, aprendizados, vitórias e derrotas, alegrias e tristezas.

Que cada um renasça de si mesmo, das suas cinzas, das suas frustações, dos seus medos, das suas inseguranças, soltando as amarras do passado para poder viver o presente com plenitude, sem medo do novo e do desconhecido.

Que cada um saia do seu caos emocional, com resignação, fé e convicção de quem deseja o melhor para si e para os outros. Com a consciência de que é um Ser Humano perfeito e maravilhoso, assim como é, pois cada um é um ser único.

Seja o autor da sua própria história e seja o ator principal e não coadjuvante. Dê o rumo na sua história de acordo com seus desejos, ouça o seu coração e siga em frente, com alegria, criatividade e gratidão por tudo e por todos.

Cada dia, cada minuto, cada momento é novo e único, nada se repete, não perca oportunidades, seja curioso, enfrente riscos e desafios, sinta o sabor da vitória e da derrota, aprenda a analisar o positivo e o negativo de cada situação.

Sinta-se livre para fazer o que gosta, sem se preocupar com o que os outros vão pensar ou falar, cante, pule, assobie, dê gargalhadas, ria de si mesmo, fale com as flores, olhe para as estrelas, contemple o céu, sinta-se extasiado com o pôr do sol, sinta gratidão à Mãe Natureza.

Se pergunte quem você é? Adquira consciência de si mesmo, o que pensa e o que sente. Tenha sempre bons pensamentos, não permita que o pessimismo destrua seus sonhos, seus ideais, sua alegria e sua saúde.

Tenha consciência ecológica, pois você faz parte da natureza e a natureza faz parte de você. Sinta-se fazendo parte do Todo e o Todo fazendo parte de você. Sinta-se em harmonia com tudo e com todos, reconcilie-se com você e com aquele que te incomoda, deixe de se incomodar ou se preocupar com coisas sem importância, se ocupe das pequenas coisas, estas sim, são de grande valor.

Planeje seu tempo, seja mais solidário, ame mais, tolere mais, ouça mais, ajude mais, critique menos, procure enxergar o outro, não pela aparência, mas pelo que ele realmente é, procure descobrir a beleza que existe em cada Ser Humano e enriqueça-se com cada descoberta.

Este é o momento, reinvente a sua história, cuide da criança que existe em seu interior, deixe-a aflorar, pois ela é pura inocência, cheia de espontaneidade e criatividade, plena de alegria e liberdade.

Permita que este Novo Ano seja alegre, descontraído, harmonioso e fácil de ser vivido, preencha o seu coração com amorosidade, sabedoria e humildade.

Seja feliz e pleno de si mesmo!!!

Sol
31/12/2011 - 23:38
Imagem: Gettyimages

domingo, 1 de janeiro de 2012

2012 MARCA UM NOVO TEMPO, SEJAM BEM-VINDOS!



1º de janeiro de 2012. Quantas expectativas criadas para este ano! Fim do mundo? Não, o mundo não vai acabar. Acredito que o que está prestes a acontecer é uma mudança sem precedentes. O fim não está reservado para o mundo, mas para algumas práticas pouco saudáveis que os “seres humanos” adquiriram.

Acredito, e tenho muita esperança, que as pessoas alcançarão, enfim, uma nova forma de felicidade baseada no equilíbrio, num sentimento verdadeiro sustentado na caridade. Nada de puramente dar dinheiro aos pobres. Isso nunca foi caridade. A verdadeira caridade não comporta dó. Sua prática requer muita consciência.

Muitas pessoas acreditam que estão felizes quando se sentem eufóricas. Um sentimento que rapidamente vira depressão. Vive-se uma constante montanha-russa que exaure todas as energias! Acostumadas, nem se dão conta de que há outro tipo de sentimento puro, profundo e duradouro, este sim capaz de fortalecer e proporcionar um bem-estar inigualável.

"Mas porque a verdadeira felicidade está sustentada na caridade? Que coisa chata! Não dá para ser feliz do jeito que eu vivo?" Depende de como você vive! Quer ajuda numa autoanálise? Vamos lá... Preocupa-se com quem, além de você? (...) (...) (...) Estou dizendo PRE-O-CU-PA-ÇÃO, aquela através da qual você faz para os outros e pelos outros o que gostaria muito que fizessem para você, sem sufocar no apego nem exigir qualquer reconhecimento.

Sua reposta traz a medida do seu egoísmo, da sua necessidade de domínio e da sua carência. Alguém já viu felicidade comungar com isso? Então, analise sua postura e enxergue, com honestidade, suas razões pessoais para estar ou não se sentindo feliz (esteja certa de que estou vivendo este exercício...).

Mas saiba, acima de tudo, que 2012 marca um novo tempo. Um tempo de resgates, de transformações e, principalmente, de justiça. Acaba um longo período nebuloso. Brota do caos em que a humanidade se chafurdou o foco de luz necessário para fazer brilhar os olhos. Há muita beleza que a Mãe Natureza nos reservou. Esteja desperta para apreciar!

Boa sorte na sua trajetória, sucesso na sua batalha pessoal e que suas conquistas a conduzam à evolução!
Imagem: Gettyimages

 
Powered by Blogger