terça-feira, 3 de janeiro de 2012

SEXO SEGURO X INFORMAÇÃO SEGURA


Para mim, a segurança de uma informação está na consciência que ela traz. Uma pessoa verdadeiramente segura é consciente e, como consequência natural, bem informada. Estamos nos aproximando de uma excelente oportunidade (o Carnaval) para observar alguns aspectos a serem discutidos neste post:

A princípio, me parece muito fácil confundir sexo seguro com informação segura, não? Pois bem. Tenho ouvido há anos: “Faça sexo seguro! Use camisinha!”. É praticamente um hino cantado em coro na mídia, registrado em cartazes nos postos de saúde, em murais de escola e em tantos outros incontáveis lugares. As pessoas lêem tanto, que reproduzem. Ainda que não usem preservativo nas suas próprias relações sexuais, não perdem a oportunidade de, permissivamente, aconselhar um pré-adolescente que se apresente meio “ruinzinho de serviço” em termos de experiências sexuais.

De uns tempos pra cá, passei a questionar se essa informação é realmente segura. Conclui que nem a informação, nem o sexo são necessariamente seguros da forma como vêm sendo divulgados.

Explico...
Quando copula, a mulher recebe o espírito do homem e ele fica registrado para sempre na sua alma, na sua aura. Ter o registro de apenas um homem é sinônimo de muito poder, inclusive sobre o próprio homem. Deixa de ser necessário falar. Um olhar resolve! (...) Com o marido, a sobreposição, o mando da mulher acontece se ela não estiver dividida. Isso explica o porquê das mulheres terem perdido sua força moral. Elas não sabem mais com quem estão falando. Têm tantos registros de homens diferentes, que perderam a força, perderam a moral. Quando ela fala, não se sabe a quem está dirigida a sua força. Se a esse ou àquele ou àquele outro, já que ela se relacionou sexualmente com todos. (Livro “Mulheres: Mães e Reeducadoras dos Filhos de Hórus” - pág. 206)

Observe o que sentiu lendo este simples parágrafo. Vou listar algumas possibilidades:

1. Que alívio! Eu estava certa! Não fui uma idiota tendo me preservado até hoje!

2. Que mer@#% é essa? Que mané recebe o espírito o que? Vai, essa nega é, no mínimo, uma louca! (Claro que não vou relacionar todos os adjetivos que posso estar recebendo neste exato momento, né?)

3. Ai, olha essa aí querendo limitar a liberdade sexual feminina! Mulher que dá pra mais de um cara perde a moral? Que moral? Me economiza, vai! Os tempos mudaram! A gente dá meeeesmo!

4. Nossa! Péra um pouco. Deixa eu ler de novo... (Isso, isso, leia! Por favor, LEIA!!!)

Pela sua felicidade, permita-se entender o que acontece com seu corpo, com o seu espírito! Não sou louca, não nego que o uso do preservativo é indispensável, não estou com discurso castrador, limitador, MUITO PELO CONTRÁRIO! Estou falando de uma verdade cósmica! Não é surto, é a nossa chance de resgatar a força enfraquecida, a sabedoria esquecida e a essência feminina sustentada numa segurança inigualável.

É claro que você não está proibida de se relacionar com quantos homens quiser. O clamor é, apenas e tão somente, para que compreenda os efeitos dessa decisão, pois esteja certa de que ela afeta seu corpo físico, suas emoções, sua mente e permanecem com o seu espírito até que você morra. Parece exagero? Pois saiba que aonde quer que esteja, não importando a sua idade, se vier a se encontrar com um homem com quem se relacionou sexualmente, você o reconhecerá. Ele pode até não se lembrar de você, mas você saberá quem é pelo simples fato de trazer os registros dele no seu corpo. Vocês podem ter usado muitos preservativos na relação, mas nada impedirá que a energia dele fique em você. Isso é sério e forte o suficiente para adoecer e enlouquecer qualquer mulher. Os desequilíbrios causados são profundos, mas dificilmente as causas são conhecidas porque a falta de informação neste sentido é assombrosa!

Às mulheres que se sentiram agredidas, peço perdão por não ter conseguido atingir suas almas. Mas às que se identificaram com a INFORMAÇÃO SEGURA trazida numa única citação, temos muito que conversar. O livro “Mulheres: Mães e Reeducadoras dos Filhos de Hórus” traz lições preciosas, mas para quem ainda não o adquiriu (friso que cedi TODOS os direitos autorais à Fraternidade Lux de Harmonização) aqui no Projeto Philae teremos excelentes oportunidades.

Este texto tomou outro rumo. Imaginei falar com maior profusão sobre o Carnaval, sobre a camisinha e as práticas sexuais que adoecem a emoção e a mente, mas não foi o que aconteceu. Vamos falar em outra oportunidade, ok?
Imagem: Gettyimages

2 comentários:

Michelle Formaggio disse...

Noooossa amei o texto, muito profundo, sempre acreditei nisso!!!!! Parabéns Ju

Juliana Costa de Souza disse...

Obrigada, Michelle! Meu esforço é para que, a partir dessas informações, nossas filhas e suas amigas alcancem a liberdade com consciência e não sofram desnecessariamente. Obrigada pelo apoio!

Postar um comentário

Comentários são muito bem vindos! Esclarecimento pressupõe dúvida. Manifeste a sua ou apenas deixe uma contribuição. Todos os comentários passam por moderação. Somente serão publicados os de conteúdo apropriado e desde que não tratem de assuntos pessoais.

 
Powered by Blogger